Viva Portugal

05-10-2011 12:26

 

No dia em que se comemora o 101º aniversário da república portuguesa, venho chamar a vossa atenção para uma campanha publicitária, que envolve um conceituado treinador de futebol, uma instituição bancária e o nome de Portugal, bem como um estranho conceito de ter orgulho em ser português.

Refiro-me claramente á campanha publicitária levada a cabo pelo BCP, cujas acções valem no mercado entre 0,15€ e 0,20€, que á cerca de um mês recorreu como muitos outros bancos da nossa praça, ao aval do estado, como fiador no acesso aos 20mil milhões de euros, colocados á disposição dos bancos, para financiar as empresas e famílias que a ele necessitem de recorrer.

Estamos a falar de uma parte relevante dos dinheiros aplicados no resgate de Portugal, cujo pagamento já condiciona presentemente a vida dos portugueses, e irá futuramente continuar a condicionar com a politica subjacente de cortes e austeridade, que o próprio resgate previa.

Apesar do destino previsto para estas verbas e da garantia do estado tem sido tornado publico que as empresas continuam com dificuldades em obter financiamento junto das instituições bancárias, entretanto de forma totalmente despudorada e escandalosa, assistimos á referida campanha, em que os escassos recursos são simplesmente esbanjados.

A imoralidade vai tão longe, que não se inibem de em nome de Portugal, e de pretensos representantes do patriotismo luso, desenvolver campanhas duvidosas, cujos objectivos além de dúbios, são provavelmente danosos pois sem querer questionar o patriotismo do senhor Mourinho, este deve-se fazer pagar e bem.

Aliás o caso BCP/Mourinho, não é único na praça nacional, temos o mesmíssimo tipo de relação entre o “mui guapo” CR7 e o BES, a mim não me chocariam os contratos publicitários, se nos mesmos não estivessem envolvidas instituições, supostamente em dificuldades e cujo financiamento é motivo de aval do estado, o mesmo estado cuja primeira medida desta legislatura, consistiu em roubar 50% do subsidio de natal aos seus cidadãos, da mesma forma que não me choca que figuras publicas, tirem partido da sua imagem e facturem com a mesma, mas não se esqueçam que o dinheiro não é tudo e não confundam patriotismo com meras conjecturas financeiras, com estranhos conceitos de orgulhos medidos em euros.

No caso concreto do BCP, a campanha está aberta á participação de todos os portugueses, bastando para o efeito levantarem gratuitamente (paga e bem paga) uma dos cinco modelos de “fita do orgulho”, numa agência do Millenium.

Se gostam de serem comidos por parvos, com conceitos de patriotismo da treta e alinham em fitas, força vão levantar a vossa fitinha e alinhem, pois quem está a pagar somos todos nós.

Viva Portugal, vivam os verdadeiros portugueses.

facebok