Nivelar por Baixo

31-10-2011 20:00

Está a ser ultimada a “regionalização á portuguesa”, cabendo a execução da derradeira fase desta ao executivo que nos (des) governa.

Senão vejamos as políticas dos governos PSD e PS, nos vinte e cinco anos que decorreram, visaram a criação de vias de comunicação, que permitiram ligar regiões, por vezes não muito distantes, mas que devido às condições das estradas existentes, tornava pequenas viagens em autênticas aventuras.

Infelizmente da necessidade fremente de novas vias de comunicação, rapidamente se passou ao fomento puro e simples de empresas de construção que gravitaram á volta dos vários governos, e que se habituaram a viver das empreitadas lançadas por estes, com engenharias financeiras muito duvidosas na maior parte das situações. Se a explicação para o aumento significativo do betuminoso por todo o país, era a necessidade de proporcionar às regiões isoladas, e às suas populações o desenvolvimento, com a fixação de novos pólos industriais, hoje constatamos que os vários governos falharam neste e noutros campos, e que sinal disso é a desertificação que afecta cada vez mais as regiões do interior.

Se não houve o desenvolvimento exponencial almejado, outros houve que viram nestas novas vias de comunicação uma oportunidade, para o  modo de vida a que se dedicam, actualmente é com extrema facilidade que podem assaltar uma bomba de gasolina na Ericeira, e passada uma hora e meia, estar a arrombar uma caixa multibanco em Coruche, convenhamos algo impensável há uns anos atrás, e que infelizmente veio de forma negativa acabar com uma assimetria que até agora beneficiava a qualidade de vida das pessoas destas regiões.

Se até agora o que diferenciava o interior e o litoral, era a mobilidade acrescida de que beneficiavam os residentes nos grandes centros urbanos, em detrimento dos portugueses do interior onde a rede de transportes públicos, na maioria das situações pura e simplesmente não existe, eis que este governo se prepara, para neste campo também nivelar por baixo a qualidade de vida dos portugueses.

As últimas notícias postas a circular nos meios de comunicação social, método astucioso e cada vez mais em voga por estes cavalheiros, para então medirem o ruído que obtêm de retorno, ao mesmo tempo que preparam psicologicamente as pessoas para as medidas a aplicar, não deixam dúvida alguma que num futuro próximo a rede de transportes públicos, tal com a conhecemos deixará de existir.

São estas medidas, entre outras como o fecho de urgências hospitalares, o fim de disciplinas até agora leccionadas nas nossas escolas que visam o empobrecimento do país, e consequente indegência e penuria dos portugueses, assumida pelo Senhor Passos de Coelho, que vão ser a “regionalização portuguesa”, que provocará o nivelamento por baixo de toda a sociedade portuguesa.

facebok