Mais um "Quinanço"

12-10-2011 19:45

Tal como as prostitutas que fazem sexo sem amor, também a nossa selecção pratica futebol sem paixão, com uma pequena nuance que faz toda a diferença, se no caso das prostitutas apesar da falta de paixão, por norma existe profissionalismo, e os clientes em regra sairão satisfeitos, o mesmo já não terá acontecido ontem com os adeptos portugueses, pois é impossível que alguém tenha gostado daquilo que viu.

Passando á frente e deixando para trás a miserável exibição da selecção das quinas, ocorreram entretanto outras situações, que pelo facto de gravitarem á volta da selecção de todos, são merecedores de alguma reflexão.

 Houve um facto para o qual ainda não consegui uma explicação com alguma lógica, se bem que o mundo do futebol poucas vezes tem a ver com a lógica, mas continuo a questionar-me, porque carga de água é que o presidente do FCP viajou para a Dinamarca com a selecção nacional, no mesmo avião?

Ao que parece o senhor Pinto da Costa, fez-se acompanhar pela sua nova amiga, terá sido uma viagem romântica, juntando o útil ao agradável?

 Só neste contexto é compreensível a presença do cavalheiro e a respectiva companhia, cabendo a esta ultima tornar o passeio agradável ao senhor Nuno, ao mesmo tempo que dava o exemplo pelos vistos inútil de profissionalismo aos jogadores da selecção. Este assunto merece-me um último reparo, pelos vistos o senhor presidente, continua a ser um óptimo cliente das farmácias do Porto.

Foi também notícia nalguns jornais, o suposto convite que terá sido endereçado ao jogador Givanildo Vieira de Sousa ( fod… se tivesse um nome destes também preferia que me chamassem Hulk), por alguém da federação portuguesa de futebol e que o “homem verde” terá recusado, mas que agora com grande sentido de oportunidade decidiu revelar.

Segundo o dirigente da federação Amândio de Carvalho, o tal convite não partiu de ninguém daquela federação, atendendo porém a alguma senilidade, que o cavalheiro já apresenta é provável que mesmo que o tivesse feito, certamente já não se lembraria. É mais um dos muitos episódios que envolve este dirigente sénior, que imagine-se já está na federação desde 1983, e de acordo com as más-línguas costuma fazer umas sonecas, quando está no banco da selecção, sabem como é a idade não perdoa.

Por fim, talvez não tenham reparado, mas foi um pouco estranho ver no flash interview, o Nuno Gomes, qual é que terá sido o critério para ser ele a dar, a cara por uma selecção, de que não fazia parte há mais de um ano? Vocês não sei, mas eu gostaria de ver ali o capitão de equipa, pois não é só usar a braçadeira, ser capitão é algo mais do que isso. Será que o “mui guapo” estava amuado?

Existe ainda uma outra teoria, que a triste e austera exibição da selecção portuguesa, estava prevista no memorando da troika.

Podíamos evitar o Play off? Podíamos! Mas não era a mesma coisa!

facebok