Migrar

02-11-2011 18:50

Alexandre Miguel Mestre, ao falar a uma plateia de jovens que atentamente o escutavam no estado de São Paulo no Brasil, saiu-se com a seguinte pérola, passo a citar: ”se estamos no desemprego, temos de sair da zona de conforto e ir para além das nossas fronteiras”, e continuando o seu raciocinio, completou “o jovem voltará do estrangeiro melhor profissional”.

Neste momento alguns de vós já estareis a pensar este gajo passou-se de vez, quem raio é este tal Alexandre? Pois é aqui que reside o busílis da questão, este Alexandre a que eu me refiro, não é o rapaz do quiosque que vende jornais, nem aquele colega com quem costumamos falar enquanto bebemos um café.

Este Alexandre é somente o secretário de Estado da Juventude e do Desporto e o discurso do cavalheiro é algo que alguém com as suas responsabilidades nunca devia proferir, pois a menos que tenha sido acometido de algum ataque súbito de imbecilidade, só significa que está efectivamente convicto do que afirma e a consequência a retirar dessa convicção é que na realidade o executivo já desistiu do nosso país.

A afirmação do jovem político, é triste e reveste-se de grande prejuízo para o país, pois os esforços a endividar deveriam ser no sentido de tentar evitar que os quadros, que supostamente são o futuro de Portugal, fossem criar riqueza para os países de acolhimento, é o mesmo que uma equipa de futebol ou uma empresa, convidar os seus melhores activos a procurar outro destino para desempenharem a sua actividade profissional, deitando assim a perder todo o esforço despendido na sua formação.

Eu na condição de pai, por muito que isso me custe, posso e devo aconselhar as minhas filhas, no sentido apontado pelo imbecil do secretario do Estado, já ele na ocasião em que abriu a boca devia ter-se engasgado ou mordido a língua.

A postura do jovem político é exemplificativa do desnorte deste governo que a única saída que tem para apresentar aos cidadãos, é a austeridade imposta pelo memorando da troika, traduzida em roubos sucessivos aos que mais não têm do que o rendimento mensal do seu trabalho.

 Portugal tem um governo, cujo primeiro-ministro, tem como principal motivação o empobrecimento dos portugueses, e secretários de estados que convidam os jovens a abandonar a sua nação, esta politica levará inevitavelmente o país ao fracasso.

facebok